Um novo momento

10670155_284882185036380_6148627124141760281_n

Quando chegamos a essa mundo nos é dado muito trabalho. É o trabalho de desatar nós e fazer laços. Laços, se você se lembra, eles se soltam dos dois lados livremente por quem quiser ir. Assim, os laços são um acordo. Tal como fizemos muitas vezes para amarrar nossos sapatos. Um, dois, juntos, mas livres.

Nós apertam, estrangulam, seguram, querem e ficam mais fortes quando puxamos. Então, sendo esse o nosso trabalho partical. Temos que ser todos bons mágicos, sabe, aqueles a quem são dados muitos nós, tantos que ficamos imaginando, coitadionho. Então ele é colocado num caixão, coloca-se todas as espadas. Joga-se o mágico dentro d´agua e voalá. Ele aparece completamente solto livre, dançando e rindo.

Essa é a mágica mais maravilhosa. Soltar-se do que todos esperavam de ti. Sair de todas as molduras, libertar-se de tudo que te contem e define. Somos indefinívelmenteinfinitezimais e mais.

Por isso, relaxe. Pois sem relaxar não podemos soltar os nós. Pare de se debater. Relaxe. Tal como o mágico, a resposta está na sua consciência.

Não existe nós. There is no spoon.

Quando abrimos as mãos e soltamos, simplesmente soltamos tudo que queremos agarrar sobram os laços a nos segurar. Sobram os que estão de pé ao nosso lado. Os mesmo por quem nos levataríamos milhões de vezes, os mesmos por quem tudo vale a pena, eles se colocam de pé como colunas entre o céu e a terra.

Sejamos essas fortalezas de si mesmos.

Aqui, na nossa morada. Pois nossa casa é o universo. Repousamos seguros por tudo.

Por todos os laços que seguram as fibras do meu coração.

Desejo a todos vocês um novo momento.

Mário

 

About The Author

Mario Fialho

Mário Fialho é pai do Miguel Luz, professor na multiversidade, clínica e escola em Niterói. Vive dedicado a escrever, ensinar e a cuidar de tudo que é bom, belo e verdadeiro com simplicidade. E agradece a sua visita.

Escreva, sua opinião é muito importante.