Prece ao tempo sem pressa

brilho dos olhos

Quando afoita o feito aberto em teu peito

Quando a foice rasga em faces seu medo

Quando o vento sopra em teu ventre

Quando entre a vida refaz-se em pranto

Tanto tempo faz que tanto fez

Tanto longe ou perto faz do mesmo

Tanto agora ou ontem se refaz

Tanto em ti em mim mente ir a mais

Longe o vento se desarvorece

Longe o tempo se aquece

Longe a luz se diz-pede

Perto, o tempo, a luz, o vento, o brilho, entorpecem

Ama…

Abraça…

Silencia…

Pra fazer viver e nascer

o amor

20/01/2012

About The Author

Mario Fialho

Mário Fialho é pai do Miguel Luz, professor na multiversidade, clínica e escola em Niterói. Vive dedicado a escrever, ensinar e a cuidar de tudo que é bom, belo e verdadeiro com simplicidade. E agradece a sua visita.

Escreva, sua opinião é muito importante.