MEU 20 ANOS COMO TERAPEUTA

caminho do terapeuta

caminho do terapeuta

Em 2015, completarei  20 anos que atuo como terapeuta e professor em terapias. Foi em 1995 que comecei a dar aulas sobre as terapias que receberam muitos nomes: nova era, alternativas, complementares e agora integrativas – essas desconhecidas de nós mesmos.

Assim, o caminho e o caminhar é o melhor professor.

A grande mestra VIDA nossa única e verdadeira SOFIA. Conhecimento, nasce do silêncio  que é sua mãe por natureza. Assim como da dúvida, nasce a certeza, assim como do impreciso a precisão, bem como do chamado, o amor, ou cura, ou cuidado.

Mas o que é curar? O que é o cuidar? O que é amar? Em verdade são a mesma palavra. Você se cuida? Você é cuidado? Você está curado? É amado em toda a sua integralidade? Reconhecido, revelado, vivo?

Sim, todo o tempo, somos com o mundo seres de cuidado. Cuidamos dos nossos assuntos e tantas vezes cuidamos dos alheios, porque são sempre nossos esses outros, de alguma forma mais ou menos conscientes disso. Deixo os rastros de algumas reflexões desses 20 anos que surgem do espanto com o tempo e com o amadurecer.

Nada é certificado o ser humano é vastidão.

Depois de 20 anos, gostaria de dizer você não precisará de títulos. As pessoas que se prenderam a títulos, se prenderam mesmo. E a cura acontece em um espaço de liberdade. Liberdade para pensar, para respirar, para viver, para amar, para falar a verdade e ser verdadeiro. Você pode fazer como eu, colecionar vários títulos e depois deixar todos para trás, mas se te servir e adiantar o serviço. Você realmente não precisa.

A cura é fruto da confiança.

Confiar é fiar com, é tecer uma nova linha de sentidos, uma linha com padrões mais harmônicos, resiginificando toda a trama até então. Sejamos tecelões de uma teia que, confiamos, seja de uma ordem superior, que só se revela quando ligamos os pontos na sinfonia universal.

Desatador os nós.

Em tantos momentos damos nós. Nós são prisões e repetições, ficamos presos e tentando negar, nos agarramos mais. Tudo deve ser reconhecido para ser transcendido. Essa é a alquimia do nosso dia-a-dia. Reconhecer, trazer à consciência, sentir em todos os corpos e então liberar. Isso é também curar.

Natureza é a grande curadora.

Isso parece uma frase mítica, mas é tão simples que parece mistério. A natureza, o sol, o ar, o alimento, você mesmo, sabem como regenerar e curar-nos. Somos esse terreno, humano é húmus, ou seja, terra fértil e para nossa fertilidade, precisamos estar na natureza. Terra, mar, ar puro, silêncio, céu estrelado, lua, sol, estações. Tudo isso é cura.

Os remédios mais simples são os mais complexos.

Quando comecei a estudar, florais de bach, homeopatia e medicina chinesa em especial acupuntura eu pensei que isso era tudo muito simples. Não se confundia com a complexidade dos saberes da tecnociência e da farmacologia. Quando me dei conta de como é difícil ensinar aos profissionais da saúde essas simplicidades é que percebi o porquê de depois de milhares de anos, todo mundo, em todas as casas, não sabem ainda se cuidar. E a resposta é muito simples e se esconde na simplicidade. O simples permance complexo para a mentalidade moderna.

Não tenha medo.

O amor tudo abrange. Não crie separações, não crie ilusões. Tudo que passa nunca existiu, o que resta é o amor, o que cura é o amor, o que compreende é o amor o que sabe é o amor. Conhecer é amar, gnose só é possível através do amor, viva todo dia, um dia gnóstico.

Toque.

O toque é profundamente curador. Mas estamos desaprendidos de tocar. Somos treinados para comprar, pegar, ter, mas o toque curador pede uma entrega, um doar, um acolher, um libertar, um dissolver de nós e feridas. É carinho, é cuidado é libertação. E é um convite a sermos quem somos. Um contato terapêutico, não exclui nada. Mas educa nossas energias e hormônios, nossa vontade para que a gentileza que doamos seja sempre a mesma que doamos a nós mesmos. É impossível ser gentil com o outro sem aprender a ser conosco mesmos. Só amamos quando nos amamos. Só amamos na forma que nos amamos. Ame o próximo como a si mesmo. Só vale num mundo em que você já aprendeu a se amar.

O teu olhar melhora o meu

Não há dúvida, amar, só amando nos tornamos humanos pelo olhar do amado. O nosso olhar é nosso mais poderoso instrumento curador. Um olhar que reconhece uma pessoa por traz de um sintoma, o Ser em seu mistério e majestade, cura. A presença cura. Que teu olhar e sua presença sejam curadores.

Dinheiro é expressão da liberdade.

De poder fluir e materializar seus sonhos. Não deixe que ele te aprisione jamais. Boa parte dos sintomas que tratei nos 20 anos são de pessoas que passam a maior parte do seu tempo lutando como um monstro da sua criação, achando que nunca é suficiente, que não merecem ser felizes e viver bem. A vida, a vida é passageira, aproveite cada dia da viagem. Não deixe para ser feliz na aposentadoria, nas férias, no domingo, amanhã ou daqui a pouco. O melhor lugar é aí e agora.

Cuide-se bem.

Se você passou anos cuidando das pessoas com todas as suas forças. Relaxa, está na hora de cuidar de você. E esse pedaço de terra, essa sua humanidade, se bem cuidada, vai exemplificar o que você acredita ser digno de viver. Seja a mudança!

Cura-te a ti mesmo.

Ps. Quando comecei o texto, me imaginei relatando os livros, os professores, as viradas no aprendizado das terapias integrais nos últimos 20 anos. Mas foi assim, simples e surpreendente como há de ser cada instante criativo no espírito (shén).

About The Author

Mario Fialho

Mário Fialho é pai do Miguel Luz, professor na multiversidade, clínica e escola em Niterói. Vive dedicado a escrever, ensinar e a cuidar de tudo que é bom, belo e verdadeiro com simplicidade. E agradece a sua visita.

Escreva, sua opinião é muito importante.