INTRODUÇÃO SIMPLES À ACUPUNTURA

Depois de milênios, a acupuntura convence cada vez mais e ganha adéptos.
Em 1972, a China ainda era uma nação fechada para o mundo quando o então presidente americano Richard Nixon fez uma visita histórica ao país, acompanhado por um batalhão de jornalistas. Entre eles estava o repórter James Reston, correspondente do jornal The New York Times, que durante a visita teve a sorte de sofrer uma crise de apendicite e precisou ser operado de urgência. Sim, sorte. Tudo bem, ser operado em um país distante e desconhecido é dureza, ainda mais quando, em vez de analgésicos, os médicos resolvem tratar a dor espetando agulhas pelo corpo, durante a cirurgia e no pós-operatório. Mas se não fosse pela doença (que afinal apareceria de um jeito ou de outro) Reston não teria descolado a melhor história de sua viagem à China. O relato do misterioso tratamento ocupou a primeira página do jornal nova-iorquino e despertou a atenção de milhões de americanos para a acupuntura, que era pouco conhecida no Ocidente. ( Sussman – o que é acupuntura )
Infelizmente isso ilustra o quão recente é a acupuntura e medicina chinesa no ocidente como ela é mal interpretada. A ciência ainda está longe de compravar todos mecanismos e o alcance da medicina chinesa que tem como prática principal a acupuntura. Mesmo assim, só para se ter uma idéia, sua eficácia no tratamento de dor crônica é de 50% a 85%, comparável à de drogas potentes como a morfina, que dá certo em 70% dos casos. Com a vantagem de que as agulhinhas não são tóxicas e não causam dependência. No entanto, como tanta gente ainda fica com o cabelo espetado pela idéia de ser agulhado. Embora isso seja praticado no oriente à mais de 3 mil anos acupuntura (“punção com agulhas”, em latim) é um dos componentes da medicina tradicional chinesa, junto de tratamento com ervas, dieta alimentar equilibrada, prática de massagens (tuiná) e exercícios respiratórios chamados qi gong.
 
 Por ser uma prática preventiva os resultados da acupuntura são muito mais rápidos e intensos quando o paciente se submete a um tratamento global e muda seu estilo de vida, adotando uma alimentação saudável e aderindo à prática de exercício.
Os chineses acreditam como os aquimista e xamans de todos os tempos que o homem saudável é o que está em equilíbrio com o universo inteiro. Que cumpre seu papel, sua função seu designio celetial, que também é conhecido como Dao, ou Tao. Entre as várias leis que governam o universo e também o homem que resprestena o microcosmos está o yin e yang, prestente em toda a natureza que se manifesta em cinco reinos mutantes de elementos diferentes. Atuando nos canais distribuídos ao longo do corpo, os meridianos, por onde circula a energia vital, chamada de chi (pronuncia-se “tchi”). Detalhe: esses canais são invisíveis para a maioria das pessoas e impalpáveis, o que dá uma idéia da diferença de sutileza entre essa arte oriental. Os 12 meridianos correspondentes aos órgãos têm simetria bilateral, sendo que seis (fígado, coração, baço, pulmão, rim e pericárdio – um tecido que envolve o coração) circulam pela frente do corpo e no interior de pernas e braços e os outros seis (vesícula biliar, intestino delgado, estômago, intestino grosso, bexiga e triplo aquecedor – sistema que, segundo os chineses, mantém a temperatura dos órgãos internos) correm nas costas e na parte externa dos membros. Os outros dois meridianos, yin e yang, localizam-se no centro do corpo, pela frente e por trás. “As doenças, segundo os orientais, têm origem no desequilíbrio da energia vital e da relação do homem com o universo e consigo mesmo. A acupuntura tem como meta reequilibrar o fluxo energético por meio da aplicação de agulhas em pontos  que ajudariam a reequilibrar o fluxo energético. Além da dor
Boa explicação, de fato. O único problema é que ela só explica o mecanismo de ação das agulhas no tratamento da dor. E as agulhas não tratam só dor, como reconhece a Organização Mundial de Saúde. Segundo o órgão da ONU, a acupuntura é eficaz no tratamento de cerca de 40 enfermidades (leia quadro na página 33). “A acupuntura age muito bem nos desequilíbrios energéticos e funcionais, como depressão, ansiedade, estresse, insônia, obesidade e enxaqueca, e quase sempre é curativa. Mas, nas doenças orgânicas ou lesionais, como câncer, diabetes e derrames, ela é um tratamento coadjuvante”, afirma o médico Fábio Pisani, de Campinas (São Paulo), especialista em acupuntura, homeopatia e fitoterapia. Para esses casos que não envolvem dor, a explicação da medicina ocidental não serve. Os médicos admitem que as agulhadas funcionam, mas não sabem como.O instrumental básico da acupuntura são as agulhinhas, que têm a espessura de um fio de cabelo e são cerca de dez vezes mais finas que uma agulha de injeção comum. Elas costumam ser feitas de aço inoxidável. As mais usadas medem 3 centímetros. A quantidade de agulhas espetadas no paciente depende da patologia.  As agulhas são pessoais ou descartáveis. No primeiro contato do paciente com o acupunturista é feito um detalhado diagnóstico, dividido em quatro etapas: inspeção, auscultação e olfatação (as duas são uma etapa só), palpação e interrogatório. A inspeção consiste na observação geral do paciente. “Ficamos atento ao seu jeito de caminhar e de sentar, aos movimentos do corpo, à coloração do rosto, da língua e da pele. “Em seguida, sentimos o cheiro exalado pela pessoa, o odor de seu hálito e ouvimos sua respiração, fala e tosse. O terceiro passo é a palpação, quando pressionamos certas áreas do corpo. Pelo pulso é possível saber como está a função dos órgãos internos, como coração, fígado, rins, pulmão e a energia vital da pessoa”. O último passo do diagnóstico é uma conversa sobre a doença. “O diagnóstico é uma etapa fundamental para o sucesso do tratamento. Para fazê-lo corretamente, é preciso muito estudo e treino”. O Brasil é um dos países do Ocidente onde a acupuntura está mais avançada. Acupuntura trata diversas enfermidades, entre as mais comuns estão:     

TRATAMENTO COM ACUPUNTURA
Dor de cabeça e enxaqueca – ACUPUNTURA
Sinusite e rinite – ACUPUNTURA
Resfriado e amigdalite – ACUPUNTURA
Asma e bronquite – ACUPUNTURA
Conjuntivite, miopia em crianças e catarata (sem complicações) – ACUPUNTURA
Dor de dente – ACUPUNTURA
Gengivite e faringite – ACUPUNTURA
Soluços – ACUPUNTURA
Gastrite e úlcera – ACUPUNTURA
Colite e disenteria – ACUPUNTURA
Constipação e diarréia – ACUPUNTURA
Hipertensão e reações adversas à quimioterapia – ACUPUNTURA
Dor de cabeça e enxaqueca – ACUPUNTURA
Neuralgia do trigêmeo (dor no maxilar) – ACUPUNTURA
Paralisia facial – ACUPUNTURA
Paralisia causada por poliomielite – ACUPUNTURA
Incontinência urinária noturna – ACUPUNTURA
Dor nas costelas – ACUPUNTURA
Dor ciática, dor lombar e artrite reumatóide – ACUPUNTURA
Fonte: Organização Mundial de Saúde (OMS)

About The Author

Mario Fialho

Mário Fialho é pai do Miguel Luz, professor na multiversidade, clínica e escola em Niterói. Vive dedicado a escrever, ensinar e a cuidar de tudo que é bom, belo e verdadeiro com simplicidade. E agradece a sua visita.

Escreva, sua opinião é muito importante.