Terapia Alternativa à Medicina Alternativa

escolha medicina alternativa

Da Medicina Alternativa à Alternativa à Medicina

UMA OUTRA MEDICINA UMA MEDICINA ALTERNATIVA É POSSÍVEL

A biomedicina, aqui nos referimos às práticas médicas com bases científicas, constituiu-se, historicamente, através um discurso de omnipotência e disciplinador do corpo, assim era, e ainda é, em alguns cursos de medicina. Consideramos que não é fácil, lidar com a morte, com cadáveres, com sofrimento humano, lamentável que nesse caminho, a medicina tenha se tornado tantas vezes, desumanizada.

A ciência médica prometia, junto com todo o zeitgeist do pós-guerra, que iríamos descobrir um remédio para todas as doenças. De fato, fizemos uma revolução desde a Segunda Guerra, nunca vivemos tanto. Mas estamos muito longe de termos resolvido os problemas de saúde, ao contrário, em muitas áreas, como no tratamento de câncer, os problemas pioraram. Com o avanço das técnicas e as aparelhages cada vez mais caras, a medicina se tornou também cada vez mais inacessível e seu profissionais cada vez menos remunerados. Remédios e máquinas se tornam mais importantes do que os bons profissionais e os orçamentos públicos com a saúde, embora crescentes, não dão conta dos custos.

Com isso, o que perdemos pelo caminho e por que precisamos de uma Medicina Alternativa?

Perdemos noções fundamentais como a de vínculo terapêutico, perdemos as dimensões essenciais do cuidado, perdemos a humanidade das relações. A relação clínica se tornou uma relação e consumo! Não são todos os profissionais que são assim, há os que resistem, há médicos que olham ainda para pessoas ao invés de papéis, existem ainda, os que entendem que as principais pandemias do mundo moderno (câncer, diabetes, hipertensão), são frutos da péssima qualidade da alimentação, do estresse da vida moderna, das longa horas em frente a um computador, das relações de violência em que vivem a maior parte das pessoas, de maus hábitos de saúde que atravessam todas as dimensões da vida. Esses entenderam a importância de trabalhar em equipes multiprofissionais, esses reconhecem que diversos atores são necessários para cuidar da saúde da população, do pastor evangélico na sua comunidade convocando para vacinação, dos serviços de saneamento, das associações de moradores que faz mutirão contra a dengue, dos desafios de ordem psicológica e sociais que a medicina que está aí não alcança. Esses, infelizmente, são minoria, são aliados da MEDICINA ALTERNATIVA PARA TODOS.

Nessa situação, a população, com sua “sabedoria popular” com suas medicinas tradicionais – buscou na Medicina Alternativa, mesmo com o Drausio Varella indo pra televisão fazer terrorismo e dizendo que as alternativas, os chás que as pessoas tomam lá onde o médico não chega, seriam perigosos para a saúde.

Medicina Alternativa não é novidade, sempre existiram alternativas e sempre existirão. Isso se chama evolução das idéias. Nenhum modelo, ou sistema, comporta tudo, acreditar nessa falácia é o maior e grande perigo. Existem outras Racionalidades Médicas, com outros fundamentos próprios, outras formas de diagnosticar, explicar e tratar o sofrimento humano, que não podem ser compreendidos pelo materialismo científico dominante.São os exemplos da HOMEOPATIA, DOS FLORAIS, DA ACUPUNTURA, DA MEDICINA ANTROPOSÓFICA, AYURVEDA, MASSAGENS JAPONESAS, ALIMENTAÇÃO NATURAL. A lista é grande, felizmente!

Os atores dessa MEDICINA ALTERNATIVA, os promotores de saúde alternativa, precisam ser reconhecidos enquanto alternativas mesmo e incentivados enquanto tal para aprofundarem a suas pesquisas. É assim em países mais civilizados e será assim por aqui também, um dia. Existe por trás dessa afirmação algo como evolução social, evolução das idéias, um dia a gente chega lá! Como disse o poeta diante dos anos anos de tirania:

Apesar de você
amanhã há de ser, outro dia!

Mas no momento atual do Brasil, os médicos, que antes rejeitavam e proibiam essas práticas, e ainda rejeitam em sua maioria, querem, ainda assim, que essas práticas possam não apenas serem adotadas como práticas médicas, como se tornem exclusivamente médicas. Insistem nos riscos da acupuntura.

QUEREMOS UMA MEDICINA ALTERNATIVA À MEDICINA QUE ESTÁ AÍ, SIM. UMA OUTRA MEDICINA É POSSÍVEL.

O problema não é que médicos possam, como qualquer pessoas, praticarem terapias fora da medicina ortodoxa. Tudo bem por mim, mas vão ter que aprender novas bases, novos pressupostos que lhe são estranhos e por isso mesmo, não lhes pertence. O que quero destacar é que com essa “integração’, melhor seria dizer: incorporação das outras medicinas ao sistema de saúde no Brasil, os médicos, ainda sofrendo daquela patologia medieval e sacerdotal, advogam a medicina alternativa como exclusividade da sua categoria profissional. Enquanto isso, no mundo civilizado, ao UNESCO declara a Medicina Tradicional Chinesa, patrimônio da humanidade. Saca o descompasso?

Ora, ora, caro leitor, é preciso entender algo muito simples, para que possamos entender porque essas medicina são alternativa é uma outra medicina.

“ALTERNATIVA: diz-se das coisas, das quais se pode escolher a que mais convenha.”

HOMEOPATIA – não tem comprovação científica, não tem nem um modelo físico, ou químico que explique porque a água pode ter um efeito curativo como os relatados pelos pacientes. NÃO EXISTE. E os cientistas tem toda razão em dizer que homeopatia não é medicina. Não é MEDICINA, é no máximo uma OUTRA MEDICINA, uma MEDICINA ALTERNATIVA.

ACUPUNTURA – embora existam evidências clínicas de que acupuntura funciona, também não existe um modelo científico que explique o funcionamento da acupuntura. Não tem nada que mostre como uma agulha no dedo do pé, liberar dor no pescoço, ou pode equilibrar seus hormônios.  As grandes compilações do mundo sobre o assunto concluem que não existe comprovação científica para acupuntura. Então, porque tanta gente faz uso? Ora, porque funciona, evidentemente, dizem os pacientes, são baseadas em evidências clínicas, mas isso não é comprovação científica. Acupuntura funciona baseado em outros modelos que incluem: Qi, Jing, Shen, e se você não sabe o que é isso, não pergunte ao seu MÉDICO, ele vai dizer que esses conceitos ou não existem, ou são metáforas,  ou , se forem muito, mas muito honestos, vão dizer que não estudaram NADA DISSO EM SUA FORMAÇÃO, portanto, não pode emitir uma opinião honesta sobre o assunto.

O esforço em construir um discurso de uma acupuntura médica, ou seja, sem os elementos das medicina orientais é louvável – como toda pesquisa – mas ainda malogram em explicar os resultados da acupuntura e a sua abrangência quando é estudado enquanto outra Racionalidade Médica, ou seja, como outro sistema médico autônomo.

Se homeopatia que é a terapia alternativa mais popular do mundo, seguido da acupuntura, não tem comprovação científica, que dirá Florais de Bach, Aromaterapia, Shiatsu, Auriculoterapia, Tai Chi Chuan e tantas outras práticas de saúde.

Você está querendo dizer que os MÉDICOS NÃO PODEM FAZER ACUPUNTURA?

Não, isso quem disse até bem pouco tempo atrás foi o próprio Conselho de Medicina. Eu quero dizer que MÉDICOS não deveriam, por faltar formação nessa área, praticar técnicas sem comprovação científica.Não foi isso que fizeram com a MEDICINA ALTERNATIVA ORTOMOLECULAR? O conselho proibiu a prática por falta de comprovação científica, faz todo sentido para mim.

Eles disseram: “Esse negócio de vitamina parece que faz com que as pessoas não fiquem doentes, vamos acabar com isso.” (piada, mas como toda piada, talvez guarde um pouco de verdade).

Mas os médicos são cientistas?

Não, são leitores de artigos científicos, quando muito. Para ser cientista mesmo, é preciso saber indagar o obvio, e buscar sempre alternativas, é preciso pensar “out of the box” de forma crítica e duvidar. Mas o MÉDICO não é educado para isso, poucas pessoas são de verdade, criar cientistas mesmo é das coisas mais difíceis na educação mundial. O médico, nos seus 6 anos de formação, é educado para decorar protocolos e remediar situações, nesse momento, a dúvida e novas hipóteses são perigosas. E quantos você conhece que fizeram mestrado e doutorado que sequer se tornaram pesquisadores?

Mas o fato da posição social do MÉDICO, como mediador da vida e da morte, lhe dá essa herança sacerdotal medieval, de omnipotência no imaginário – que a maior parte da população convive bem, afinal consultar o médico e receber um diagnóstico, em geral, significa diminuir a responsabilidade e ansiedade sobre sua própria saúde. Você sai com um nome e uma prescrição, mas raramente com um tratamento.

O médico, sabendo bem disso, não te diz para mudar hábitos de saúde (que você já sabe que precisa), mas indica logo um remédio que você vai “TER QUE TOMAR PARA O RESTO DA VIDA“. Isso já aconteceu com você? Pois é, um dos principais problemas de saúde hoje é o excesso de medicações, e que não temos a menor idéia de como interagem entre si.

Assim, entendido que como MEDICINA ALTERNATIVA, essas outras medicinas, consideradas PLACEBO pela MEDICINA CIENTIFICA. Devem mesmo permanecer no campo alternativo. O que não quer dizer que não precisemos de pesquisa, de publicações, de incentivos e de ensino superior dessas terapias. Como aliás, já existem as faculdades de Terapias Naturistas!!! Viva!!

medicina alternativa

 

Enquanto, isso, cuidado quando lerem na revista que a MEDICINA RECONHECE A MEDICINA ALTERNATIVA, ótimo, as MEDICINA ALTERNATIVA TAMBÉM RECONHECE A MEDICINA (BIOMEDICINA).

Aqui, é preciso ter muita atenção, não se está dizendo que deva-se escolher apenas uma, mas que se possa ter opções, quando o MÉDICO DIZ: “Isso não tem solução.” E vemos muito isso acontecer, a resposta justa e humana seria: até onde eu sei, porque eu não sei tudo, até onde o que eu estudei, não tenho como te ajudar, mas existem alternativas, sem comprovação científica por isso não posso te afirmar que vai dar certo, mas existem, dentro e fora da medicina.

Existem remédios novos, experimentais, heterodoxos, e existe toda a gama de MEDICINAS ALTERNATIVAS. Isso sim, seria mais justo com o paciente, com outro ser humano. E isso não reduz a posição do médico, ao contrário, aumenta o seu contato com o paciente, o aproxima da vida e da realidade.

Entretanto, é preciso dizer, que nós, que queremos dar ênfase na medicina alternativa somos alternativa porque não reconhecemos como positivas muitas práticas de biomedicina como: o excesso de medicação, não reconhecem como positivo os procedimentos de parto no Brasil, não reconhecem como positivas as relações desumanizadas dos serviços de atendimento, não reconhecem como positivo a lógica de “seguro doença” que se espalha nos planos de saúde, não reconhecem como positivo a ênfase em exames de laboratório em detrimento da clínica médica, não reconhecemos esse jeito cada vez mais natural de morrer com falência múltiplas de órgãos, entubado e narcotizado e por aí vai, a lista também é longa, infelizmente.

QUEREMOS, NÓS DA MEDICINA ALTERNATIVA, TER A ALTERNATIVA DE VIVER E MORRER COM SAÚDE – porque isso é um direito fundamental de todos os seres viventes. Precisamos poder dispor de todas as ALTERNATIVAS, principalmente a cada vez mais da MEDICINA ALTERNATIVA como parte de uma CULTURA ALTERNATIVA saúde e sustentabilidade, orientada por uma visão verdadeiramente integral.

E claro, no futuro, e cada vez mais, o que hoje é alternativo, se tornará senso comum, mas isso não é porque os médicos reconhecem como indica a capa da revista. Isso se dá,  porque embora sem comprovação científica, nós, eu e você, conseguimos viver antecipando os valores emergentes na cultura. Eu e você, entendemos que uma vida que hoje é alternativa, deverá ser o modelo sustentável e possível para todos nós no futuro. Ou será assim, ou não será!

UM OUTRO MUNDO É POSSÍVEL – SEJA A MUDANÇA QUE VOCÊ QUER VER NO MUNDO – DISPONHA DA MEDICINA ALTERNATIVA

Texto inspirado no PODCAST DISCUTINDO ACUPUNTURA SOBRE MEDICINA CHINESA CLÁSSICA

medicina alternativa placebo

 

 

 

 
Quer saber mais sobre Medicina Alternativa? Visite o site da multiversidade.com

About The Author

Mario Fialho

Mário Fialho é pai do Miguel Luz, professor na multiversidade, clínica e escola em Niterói. Vive dedicado a escrever, ensinar e a cuidar de tudo que é bom, belo e verdadeiro com simplicidade. E agradece a sua visita.

Escreva, sua opinião é muito importante.